Disco Lombar Artificial M6-L

A cada ano, centenas de milhares de adultos são diagnosticados com Degeneração do Disco Lombar, um quadro da porção inferior da coluna que pode causar dor crônica nas costas. Este guia do paciente tem o objetivo de proporcionar um entendimento melhor sobre a substituição do disco lombar, bem como apresentar o novo Disco Lombar Artificial M6®-L, uma tecnologia inovadora e única utilizada no tratamento desses quadros lombares degenerativos que provocam dor. Este guia não pretende ser um substituto para uma conversa detalhada com o seu médico.

Escolha um tópico:

A Coluna Lombar Degeneração Discal Lombar (DDD)
Tratamento da Degeneração Discal Lombar Procedimento
O Disco Lombar Artificial M6-L é a opção certa para mim? Glossário

A Coluna Lombar

O que é a Coluna Lombar?
A coluna lombar é um sistema complexo de ossos, músculos, cartilagem e nervos com a função de suportar o peso da parte superior do corpo e permitir o movimento em diversas direções. A porção inferior da coluna começa oficialmente na região lombar da coluna, logo abaixo das regiões cervical e torácica, e logo acima do sacro. A coluna lombar é formada por cinco vértebras, da L1 até a L5.

O Disco Intervertebral Lombar
Entre cada par de vértebras há um disco, que atua como uma almofada amortecedora de impactos e ajuda a manter o espaçamento correto, a estabilidade e a mobilidade da coluna lombar. Cada disco apresenta uma faixa externa fibrosa (denominada anel fibroso), semelhante a um pneu, que contém internamente uma substância gelatinosa (denominada núcleo pulposo). O núcleo e o anel trabalham juntos para absorver impactos, ajudar a estabilizar a coluna e permitir uma amplitude controlada de movimentos entre cada par de vértebras.

Degeneração Discal Lombar (DDD)

Conforme envelhecemos, os discos da nossa coluna lombar sofrem desgaste e tornam-se achatados. O achatamento do disco força a aproximação entre as vértebras, o que pode aumentar a tensão, não somente sobre o disco, mas também sobre as articulações, os músculos e os nervos mais próximos. Esse processo é conhecido como Degeneração Discal Lombar e pode levar a diversos quadros dolorosos.

Tratamento da Degeneração Discal Lombar

Opções de tratamento disponíveis
Para a maioria dos pacientes, os tratamentos não cirúrgicos ou tradicionais já conseguem efetivamente aliviar os sintomas da Degeneração Discal Lombar. Esses tratamentos podem incluir combinações de repouso e fisioterapia, ou o uso de analgésicos e antiinflamatórios. Se a dor persistir mesmo após o tratamento, opções cirúrgicas podem ser consideradas. O seu médico irá analisar as diversas opções de tratamentos disponíveis para que você possa tomar uma decisão consciente.

Fusão
O procedimento cirúrgico mais comum para o tratamento da Degeneração Discal Lombar é a Fusão da Coluna, que remove o disco degenerado que está provocando a dor e o substitui por um implante ósseo. Com o tempo, o implante ósseo irá se unir às vértebras acima e abaixo do espaço discal, promovendo uma “fusão” entre as duas vértebras e formando uma única coluna óssea. O objetivo da fusão vertebral é eliminar a dor através da eliminação do movimento entre as duas vértebras e da recuperação do espaçamento entre elas. Portanto, a fusão pode reduzir ou eliminar dor crônica na parte inferior das costas. No entanto, devido ao fato de ela também eliminar o movimento e a absorção de impacto naquele segmento, os segmentos adjacentes estão expostos a uma tensão crescente, que pode levar a uma degeneração mais rápida, um quadro conhecido como Degeneração do Nível Adjacente.

Substituição Artificial de Disco Lombar
A Substituição Artificial de Disco foi desenvolvida como uma alternativa à fusão. Depois que o disco danificado é removido, ele é substituído por um disco artificial. O disco artificial é projetado para recuperar o espaçamento adequado entre as vértebras e ao mesmo tempo preservar o movimento associado a um disco saudável. O movimento pode eliminar a ocorrência da Degeneração do Disco Adjacente.

Procedimento

O que acontece durante a cirurgia?
Durante a cirurgia de substituição de disco, você estará deitado(a) de costas e o cirurgião irá operar a sua coluna através de uma incisão próxima ao umbigo. O disco danificado é retirado (discectomia) e o disco lombar M6-L é inserido no espaço discal com o uso de instrumentos especializados e precisos. Após a colocação bem-sucedida do M6-L, a incisão é fechada.

O que devo esperar após a cirurgia?
Após a cirurgia, e antes da alta, seu médico fornecerá orientações sobre atividades e requisitos de acompanhamento. Talvez sejam necessárias sessões de fisioterapia para cicatrização e fortalecimento da sua coluna lombar. Alguns exames de acompanhamento serão solicitados pelo seu médico após a cirurgia para avaliar sua recuperação.

O Disco Lombar Artificial M6-L é a opção certa para mim?

Converse com o seu médico para saber quais são os benefícios e os riscos associados ao uso do disco lombar artificial M6-L e saber se você é um candidato ao procedimento de substituição de disco lombar pelo disco artificial M6-L.

Da coluna lombar estendendo para trás

Da coluna lombar em posição neutra

Flexão da coluna lombar para a frente

Glossário

Degeneração de Nível Adjacente
Um quadro resultante do tratamento em um nível que leva a um aumento da tensão, podendo ocasionar uma degeneração mais rápida nos segmentos adjacentes.

Anel fibroso
Faixa externa fibrosa, semelhante a um pneu, que envolve o disco natural e contém a substância gelatinosa interna (denominada núcleo pulposo).

Disco artificial
Prótese lombar inserida entre os corpos vertebrais após a remoção de um disco degenerado. O disco artificial mantém a altura discal e facilita a movimentação no nível da vértebra tratada.

Discectomia
Remoção parcial ou total de um disco intervertebral.

Fusão
Remoção do disco degenerado que está provocando dor e sua substituição por um implante ósseo. Com o tempo, o implante ósseo irá se unir às vértebras acima e abaixo do espaço discal, promovendo uma “fusão” entre as duas vértebras e formando uma única coluna óssea.

Disco Lombar
Localizado entre cada par de vértebras. Ajuda a manter o espaçamento adequado, a estabilidade e a mobilidade da coluna lombar. Cada disco é formado por um núcleo pulposo e um anel fibroso.

Degeneração de Disco Lombar
Alterações na coluna e nas áreas adjacentes (disco intervertebral, articulações etc.), resultantes do processo de envelhecimento natural ou de lesões e que podem limitar a mobilidade e a estabilidade da coluna.

Núcleo pulposo
Substância gelatinosa alojada no centro do disco, envolvida por uma faixa externa semelhante a um pneu (chamada anel fibroso).

Vértebras (corpo vertebral)
Segmentos ósseos que formam a coluna vertebral dos humanos. A coluna lombar é formada por cinco vértebras, da L1 até a L5.